terça-feira, 1 de novembro de 2016

Resenha: Cisne ( Livro 1) - Eleonor Hertzog

Autor: Eleonor Hertzog
Páginas: 726
Ano: 2014
Editora: Mundo Uno Editora
Adicione: Skoob
Resenha publicada por mim no Blog Eu Pratico Livroterapia

Sinopse: Unificada e em paz, a Terra se dedicou à ciência e à exploração espacial, descobrindo Tarilian, um planeta habitado inesperadamente próximo. As relações entre os dois mundos iniciaram corteses, mas rapidamente uma rivalidade inútil se estabeleceu, minando a amizade entre terráqueos e tarilianos. Um infeliz incidente diplomático piorou ainda mais as relações interplanetárias; a solução para o impasse se encontra no Cisne, um veleiro movido a energia solar que é um dos mais avançados biolabs flutuantes do planeta. O Cisne é também o lar da família Melbourne: os pais, Doris e Henry, são os biólogos marinhos responsáveis pelo barco; os filhos são sua irriquieta tripulação.
Sem saber que fazem parte de uma geração que decidirá o futuro do mundo inteiro, agora os jovens Melbourne precisarão dar o melhor de si para melhorar as relações entre Terra e Tarilian.

Resenha: Cisne é um veleiro, onde são realizadas grandes pesquisas marinhas pelos Biólogos Henry e Doris Melbourne. Vivem a bordo do Cisne o casal, 7 filhos legítimos e uma filha adotada, com as idades entre 8 e 16 anos. Algo muito incomum acontece, desses 7 filhos, duas duplas são de gêmeos....idênticos!
"Teo e Ted eram os gêmeos mais velhos, com dezesseis anos; depois, vinha outro par de gêmeos, Tim e Tom, com 15 anos. Pam era a seguinte com quatorze, Lis tinha treze, e depois vinha uma pausa de cinco anos (nos dias de tédio, os filhos se divertiam especulando o que teria acontecido naqueles anos para os pais não terem procriado o filho anual) e vinha o caçula, Bobby, de oito anos. Peggy tinha quatorze anos como Pam, e havia se entrosado perfeitamente com eles desde o primeiro dia."
A narrativa começa com 7 dos 8 filhos do casal fazendo testes para a Escola Avançada de Champ-Bleux, a escola mais conceituada e mais difícil de entrar do planeta, e onde seus pais se formaram.

Em meio a isso, vemos a convivência do dia a dia no Cisne, já que toda a tripulação se resume à família. Os jovens nos são apresentados ora com um ar mais infantil, fazendo brincadeiras e "pegadinhas" entre eles, ora como crianças notavelmente adultas e responsáveis que ajudam os pais na embarcação, com as pesquisas, e com os afazeres domésticos.

Desde o início já notamos que há algum mistério acerca de Peggy, a filha adotiva de 14 anos. Ela é diferente, tem alguns "poderes" que só os pais adotivos sabem e ela tem que trabalhar isso, sem que os irmãos saibam.
"Tinha algo de sonhos, aquele veleiro... Talvez fosse a Lua, ou o marulhar leve das ondas, ou o balanço do barco... Ou talvez fosse aquela estranha família, deixando a bordo uma parte de sua magia. Magia? Sorrisos, alegria, um tapa nas costas, uma palavra amiga... Amizade da melhor qualidade."
Ao longo da narrativa conhecemos outras famílias, de outros planetas inclusive. Sempre com um mistério envolto às conversas entre eles. Fiquei com a impressão que há muito mais para ser contado e conhecido do que foi.

Em um certo momento, o Cisne é obrigado a abrigar dois estagiários Tarilianos e com eles 2 repórteres. Um Tariliano e um Terráqueo. A rotina no Cisne pode mudar drasticamente, para a pior, mas a união da família e a maturidade dos filhos acabam superando até mesmo isso.

Paralelo à tudo o que acontece a bordo, conhecemos o resultado dos testes e sabemos quais dos 7 filhos do casal vão entrar na Escola Avançada. Apenas Bobby, de 8 anos não fez os testes, pois ainda não tem idade.

Eu fiquei um pouco confusa com a quantidade de personagens trazidos, de famílias e seus filhos, de planetas e "Casas" que surgiram. Não sei se fui eu mas isso meio que me incomodou pois era gente demais para eu assimilar e fiquei um pouco perdida. Penso que o livro com o tanto de informação que tem poderia ter sido dividido em dois, talvez assim eu não me perdesse tanto.

Um ponto que eu achei legal foram os diálogos entre a família Melborne. Vi diálogos normais e simples, corriqueiros até, de fácil entendimento e bem divertidos. Mas não se engane com a simplicidade de alguns diálogos! Quando o bicho pega e o assunto é sério e trata de pesquisas, de poderes mentais, a coisa muda completamente e eu fiquei pensando de onde a autora tirou tudo o que nos trouxe.

Tive dois pensamentos bem diferentes ao iniciar a leitura:
O primeiro foi..."nossa, que linguagem simples e direta!" e o segundo foi "gente, que mulher inteligente! De onde a autora tirou essa riqueza de detalhes!" Sim, preciso ressaltar que fiquei impressionada com a inteligência da autora, apesar de em certos momentos eu ter achado a leitura cansativa. Mas eu penso que isso aconteceu por causa do número de informações e personagens e eu me perdi toda....Mas logo me encontrei!

Um ponto que eu achei muito interessante e isso me fez gostar ainda mais da narrativa foi a amizade e o respeito que há entre os irmãos e entre seus pais, acho isso bonito e uma coisa que deve ser incentivada e valorizada. E foi o que eu vi sempre. A confiança depositada e merecida é algo muito bonito e sempre presente na estória.

Não encontrei um único erro no livro, seja de pontuação, seja de ortografia...nada. A capa é até simples, mas é muito bonita. Apesar da infinidade de personagens, eles são muito bem estruturados. Há "pistas" desde o início da leitura, que eu só fui entender ao terminar e nossa, como eu não vi antes? De novo, essa autora não é normal gente...que cabeça!!!!

Enfim, recomendo a leitura para todos que gostam de ficção, romance, aventura, ação, fantasia....ufa...tem de tudo! Já estou ansiosa pelo segundo e sei que também é um livro enorme!!! Vou ter que acostumar!!!! Mas vale a pena!



Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger