quinta-feira, 31 de março de 2016

Rick Riordan escreve carta pedindo boicote aos filmes da série “Percy Jackson e os Olimpianos”


Tio Rick representando o fandom ❤😍👏




Não é segredo pra ninguém que os filmes da franquia Percy Jackson foram, por assim dizer, um fracasso no quesito semelhanças e que apesar dos pedidos para novos filmes os fãs detestaram os filmes que já foram lançados. Sou uma grande fã dos livros do Rick e admito que meu primeiro contato foi com o filme e que na época eu amei o filme e tudo mais, mas, depois de ler os livros fiquei embasbacada com as diferenças entre um e outro e passei a ter um pouco de aversão ao filme, admito que para mim é um ótimo filme, mas, como uma adaptação literária deixou muito a desejar. E pelo que parece o tio Rick também não curtiu muito os filmes, o autor publicou uma carta em seu blog direcionada aos professores pedindo para que eles não mostrassem os filmes da franquia em sala de aula e até sugeriu que no lugar dos filmes de Percy Jackson fosse exibido o filme Fúria de Titãs que eu particularmente amo❤. Segue a carta traduzida.








Querido Professor,

Oi! Eu sou tão grato pelo fato de você estar ensinando mitologia grega para os seus alunos e talvez lendo meus livros com eles. Espero que dê certo! Se você quiser algumas idéias de plano de aula eu tenho uma tonelada de material livre no meu site, em sua maioria extraídos dos meus próprios quinze anos como um professor de escola secundária.Agora um apelo: Por favor, pelo amor de inteligências múltiplas, não mostra esses filmes de “Percy Jackson” (aspas irônicas intencionais) em sua sala de aula para uma lição de contraste e comparação ou, deuses nos livre, uma “recompensa” no final de sua unidade. Nenhum grupo de estudantes merece ser submetido a esse tipo de punição entorpecente. O valor educativo dos filmes é exatamente zero. A melhor utilização do tempo de sala de aula seria. . . bem, praticamente qualquer coisa, incluindo olhando para o relógio durante cinquenta minutos ou tirar o dia para limpar o armário.Se você precisar de uma pausa e estiver usando o filme para que você possa ter tempo para dá uma olhada em alguns papéis, ei, eu entendo totalmente isso. Eu fui professor por um longo tempo! Posso sugerir “Fúria de Titãs”, ou a versão de 1960 de “Jasão e os Argonautas”, ou “Heck”, e até mesmo a animação de “Hércules” da Disney, apesar de ser tão ruim. Esses filmes têm muitas coisas para comparar e contrastar com os mitos gregos reais. Mas meu coração rompe toda vez que ouço que o tempo de sala de aula está sendo jogado fora assistindo as maçantes adaptações de Percy Jackson.Talvez as crianças desejem ver por conta própria. Tudo bem. Tanto faz. Pessoalmente, eu preferia ter meus dentes arrancados sem anestesia, mas cada um decide o que quer. Mas gastar o tempo em aula com esse filme, entretanto? Eu já justifiquei muitos atos meus em meus anos como professor. Uma vez usei a churrasqueira para falar sobre sacrifícios para deuses Gregos com os meus alunos da sexta série. E em outra eu ensinei o tradicional jogo Zulu ao rolar melancias em uma colina e espetava-as com um cabo de vassoura. Também houveram aulas de esgrima enquanto estudávamos Shakespeare, reencenamos completamente Epopeia de Gilgamesh, e, sim, assistimos vários grandes filmes uma vez ou outra. Mas eu posso pensar em zero justificativas para assistir as adaptações de meu filme como parte do currículo escolar. (E por favor, não chame isso de meus filmes. Eles não são de qualquer forma meus.)Obrigada pela atenção. Espero que você tenha um grande ano escolar. Espero que suas crianças estejam animadas para a leitura. E eu espero que você considerará o pedido desse escritor. As crianças não precisam de tempo em classe para aprender que filmes podem ser muito, muito ruins. Elas vão descobrir por si mesmas.

Sinceramente,Rick Riordan

quarta-feira, 30 de março de 2016

Conhecendo um pouco mais sobre Autismo e Síndrome de Asperger






Oii leitores!


Hoje eu vim falar um pouquinho sobre Autismo e Síndrome de Asperger. Eu vou tentar explicar um pouco sobre o tema, eu pesquisei bastante mas sinceramente achei tudo muito "clínico".


Autismo


O autismo é um distúrbio neurológico que se caracteriza principalmente pela dificuldade de interação social e de comunicação. O autismo é um dos três distúrbios reconhecidos do espectro do autismo (ASD), sendo os outros dois a Síndrome de Asperger - que é o caso da protagonista de Passarinha - e o Transtorno Global de Desenvolvimento, que é diagnosticado quando o conjunto completo de critérios do autismo ou da Síndrome de Asperger não são cumpridos.


Conforme decretado pela ONU em dezembro de 2007, o dia 02 de abril, tornou-se oficialmente o Dia Mundial da Conscientização do Autismo.


Síndrome de Asperger


Como parte do Transtorno Global de Desenvolvimento, a Síndrome de Asperger é identificada através de uma série de sintomas ao invés de uma característica em especial. Ao ler o livro - Passarinha - vocês irão perceber que a Caitlin é uma garotinha muito especial, ela não entende metáforas nem ironias - você tem de falar tudo muito claramente para ela -; ela não gosta de olhar as pessoas nos olhos; prefere ficar sozinha; não gosta que a toquem, tem dificuldade em identificar expressões faciais, não gosta de barulhos e é muito sincera. Porém cada caso é um caso e não dá para se ter um diagnóstico correto apenas tendo a Caitlin como exemplo. 


Recomendo que para entenderem melhor sobre o tema vocês leiam o livro Passarinha da Kathryn Erskine, e também recomendo o filme Mary e Max: Uma amizade diferente - é uma animação -, eu pretendia fazer um post sobre ele  e indicar mais alguns filmes que falem sobre o Autismo e a Síndrome de Asperger mas ainda não tenho certeza se vou fazer isso😁. Se vocês quiserem eu farei, deixem aqui nos comentários a opinião de vocês 😉.

segunda-feira, 28 de março de 2016

Me Before You – Extended Trailer – Official Warner Bros. UK




A Warner Bros divulgou a versão estendida do trailer da adaptação de "Como Eu Era Antes De Você". 😍😍😍




Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Sua vidinha ainda inclui o trabalho como garçonete num café de sua pequena cidade - um emprego que não paga muito, mas ajuda com as despesas - e o namoro com Patrick, um triatleta que não parece muito interessado nela. Não que ela se importe.
Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor tem 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de ter sido atropelado por uma moto, o antes ativo e esportivo Will agora desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Sua vida parece sem sentido e dolorosa demais para ser levada adiante. Obstinado, ele planeja com cuidado uma forma de acabar com esse sofrimento. Só não esperava que Lou aparecesse e se empenhasse tanto para convencê-lo do contrário.
Uma comovente história sobre amor e família, Como eu era antes de você mostra, acima de tudo, a coragem e o esforço necessários para retomar a vida quando tudo parece acabado.



domingo, 27 de março de 2016

Resenha: A Casa de Hades - Rick Riordan


No final do terceiro livro, antes de cair no Tártaro, Percy faz Nico prometer que irá levar seus amigos até a casa de Hades para que eles possam fechar as Portas da Morte. O livro mostra como o Percy e Annabeth estão lidando com os monstros no Tártaro para poder chegar às Portas da Morte e mostra também como os outros seis semideuses - Nico, Hazel, Frank, Leo, Piper e Jason - e o treinador Hedge estão lidando com todos os percalços que aparecem em seu caminho até a Casa de Hades. Não tem muito mais a falar sem dar spoilers. O livro é muito bom como sempre, e o autor colocou aqueles suspenses que te deixam super curiosa/o para saber o que vai acontecer a seguir, pois, como o livro é narrado por mais de uma pessoa, ele tem aquelas pausas na melhor parte da narrativa para que algum outro personagem comece a narrar. Como amo um bom suspense, para mim isso foi ótimo, apesar de tudo. Ao longo do livro podemos ver como os personagens cresceram e como eles mudaram desde o início da jornada. Enfim, o livro é ótimo, super recomendo essa série.


Annabeth encostou os lábios no ouvido de Percy.
– Amo você.
Não sabia se ele podia ouvi-la, mas, se morressem, ela queria que aquelas fossem suas últimas palavras.

 Acredito que o universo é basicamente como uma máquina. Não sei quem fez isso, se foram as parcas, os deuses, ou o Deus com D maiúsculo, ou qualquer outro ente. Mas funciona como deve a maior parte do tempo. Claro, algumas peças quebram e as coisas dão errado de vez em quando, mas, na maioria das vezes… tudo acontece por um motivo.

 É natural sentir medo. Todos os grandes guerreiros têm medo. Só os idiotas e loucos não o sentem.

quarta-feira, 23 de março de 2016

Mudanças na adaptação de Convergente

Olá, pessoal! Assisti ao filme Convergente e vou falar de algumas cenas que estavam diferentes do livro. Mas se você ainda não leu ou assistiu, cuidado, contém muitos SPOILERS!


Como fã da série, eu tive que assistir Convergente. Gostei bastante do filme, mas, assim com a maioria das adaptações cinematográficas, houve algumas mudanças no filme.

Para começar, eu imaginava o Departamento como um aeroporto abandonado, com aviões velhos, até porque é isso que a capa do livro mostra (sim, às vezes minha imaginação é influenciada pela capa, rsrs), não aquele cenário super tecnológico, com aeronaves bem diferentes. Algumas me lembraram aquelas aeronaves de Jogos Vorazes. Também imaginei que naquele alojamento estariam apenas os visitantes de Chicago, não aquele tanto de gente. kkkk

Senti falta do Uriah, ele apareceu pouquíssimo no filme, achei que deveria ter tido um pouco mais de destaque. Lembro que no livro ele atravessou o muro junto com os outros, inclusive, o irmão dele até pediu para o Quatro cuidar dele. Já no filme, ele ficou na cidade, com os Leais.

Quando a Nita apareceu no livro, logo pensei "Essa Nita vai causar muitos problemas", e foi o que aconteceu. Achei que o papel dela no filme também seria um pouco maior. Lembro que a Tris e o Quatro tiveram uma discussão por causa dela no livro, pensei até que iriam terminar, mas isso não aconteceu no filme. No filme ela acabou ajudando a Tris, o Caleb e a Christina a impedir que o soro da lembrança fosse liberado em Chicago, dando armas para eles.

E sobre o Peter... No livro ele não estava do lado do David, lembro que ele voltou para Chicago com o Quatro e os outros para impedir que fosse liberado o soro da lembrança na cidade, ele até pediu para o Quatro que fosse injetado o soro nele, para que esquecesse das coisas que ele fez, mas no filme foi ao contrário. Ele se vendeu para o David, se ofereceu para ajudá-lo em troca de sair do alojamento e ter um função melhor no Departamento.

E a cena mais esperada desse filme não aconteceu: a morte de Tris. Provavelmente vai acontecer em Ascendente, próximo filme da série.

Essas foram algumas das mudanças na adaptação de Convergente. O filme poderia ter sido um pouco mais fiel ao livro, mas nem por isso deixou de ser bom, na minha opinião. Segundo algumas notícias que vi por aí na internet, por causa do fracasso do filme, Ascendente terá orçamento reduzido. Se for verdade, espero que isso não interfira na qualidade do filme.

Então, o que vocês acharam do filme?

segunda-feira, 21 de março de 2016

Resenha: O Que Há De Estranho Em Mim - Gayle Forman




Título: O Que Há De Estranho Em Mim
Autor: Gayle Forman
Editora: Arqueiro
Número de Páginas:  224
Ano de Publicação: 2016













Britt é uma adolescente como qualquer outra, e vê seu mundo desmoronar quando algo acontece com a sua mãe - não posso contar o que é, pois, seria spoiler -. Por conta disso, os pais dela acabam se separando e o pai de Britt acaba se casando novamente, porém, a madrasta não é nada parecida com Laura - a mãe de Britt -, e detesta o cabelo colorido, as tatuagens e a banda da qual Britt faz parte - bem Cinderela, né gente?.
A Monstra - como Britt chama a madrasta - atura tudo isso "calada", até mesmo os ensaios na garagem, mas com o nascimento de Billy - meio-irmão de Britt -, as coisas desandaram de vez, os ensaios foram proibidos e Britt acaba sendo levada para um internato que promete acabar com a "rebeldia" da garota.
Britt é diagnosticada com TDO - Transtorno Desafiador Opositivo -, e o Red Rock - lugar para onde ela foi levada - promete "consertá-la", porém, ao invés de uma instituição séria, o lugar mais parece uma prisão, para subir de nível as garotas precisam dedurar umas as outras, xingá-las até que a pessoa não aguente mais e desabe no choro, além de várias outras maluquices. Para se manter sã nesse lugar Britt consegue a ajuda e a amizade de quatro garotas - V, Bebe, Cassie e Martha - e juntas elas vão tentar ajudar umas as outras a conseguirem sair daquele lugar.


Eu começava a reparar que o maior empecilho na Red Rock não eram as portas trancadas nem os alarmes, mas o nosso próprio medo.

Bom vamos ao que eu achei😁



Lembram que eu falei que a história da Britt parece a da Cinderela? Ao ler o livro vocês vão perceber que as amigas dela também perceberam isso e até a apelidaram de Cinderela.
Com relação ao Red Rock, achei absurdo acontecer esse tipo de coisa em uma instituição que promete ajudar as pessoas. Além da atitude - no mínimo idiota - dos pais de colocarem as filhas em locais assim, só porque elas não são como os pais esperavam - alguns pais colocaram as filhas lá só porque elas são homossexuais, estão acima do peso ou por algo tão idiota quanto.


Quem eram os doidos de verdade? Martha ou os pais dela, obcecados pela magreza? Cassie ou seus pais homofóbicos? V ou os pais ricaços, que nem lembravam que tinham uma filha? Bebe ou a mãe que mal parava em casa e só queria saber de cosméticos? Eu ou meu pai, que gostava de se iludir?



Quanto ao TDO -
 " Frequentemente perde o controle das emoções e discute com os pais; desafia acintosamente os adultos, recusando-se a atender solicitações e a obedecer a normas; deliberadamente incomoda as pessoas; culpa os demais pelos próprios erros e falhas; com frequência se mostra irritado, ressentido, maldoso, vingativo... " - Ela se interrompeu e perguntou - E então, soa familiar? " 

 A resposta é sim, é possível reconhecer em todos os adolescentes pelo menos um desses sintomas, ao pesquisar iremos ver que, apenas o fato de uma pessoa ter as mesmas características que a Britt - ter tatuagem e tocar em uma banda - não quer dizer nada, principalmente se estivermos falando de uma adolescente. Para ter esse diagnóstico seria preciso uma falta muito grave, o que não é o caso da protagonista.


Dou 4 estrelas para o livro, a história é ótimo e super envolvente, em vários momentos você se pega torcendo pelos personagens, porém, o final é meio corrido e ficam algumas perguntas sem respostas, por isso, não dei 5 estrelas, mas super recomendo o livro, a história é muito boa e dá pra tirar alguns aprendizados😊.

Lançamentos da Butterfly Editora

Cara de um, Focinho do Outro - Marcos Fernandes


Quem nunca teve um animal de estimação e compartilhou com ele os momentos mais incríveis de sua vida? Um segredo, uma alegria... E até uma dor?Pois é sobre essa relação amorosa entre os tutores e seus animais de estimação que trata este livro. Uma relação antiga, mas que em momento algum da história da humanidade foi tão intensa.Muitos dizem que o animal é o espelho de seu tutor. Mas o que faz com que essa relação seja tão forte? Existe alguma energia que os une? O que a ciência fala sobre essa união?"A fidelidade que os animais dispensam a seus tutores humanos é indescritível, pois resgatam a pessoa das regiões mais sombrias de seus problemas e angústias, motivando a vida a seguir seu curso novamente", explica o autor, que também é veterinário e psicanalista.Descubra mais sobre essa relação de amor e fidelidade que ultrapassa o tempo e a razão. Você vai se surpreender.

Sobre o autor:

Nascido na cidade de Mococa (SP), Marcos Fernandes formou-se em Medicina Veterinária pela Unesp em 1992. No ano seguinte iniciou a atividade como clínico de cães, gatos e aves ornamentais, profissão que exerce até hoje no bairro da Mococa, em São Paulo. Em 2005 tornou-se mestre em Medicina Veterinária pelo Departamento de Epidemiologia da Faculdade de Saúde Pública da USP. Em 2015 concluiu a formação em psicanálise e, em seguida, fundou o Consultório PSICAVETH (psicanálise, veterinária e homeopatia). É comunicador, apresentador, consultor veterinário em programas de rádio e TV, escreve para revistas e é palestrante em cursos e congressos de medicina veterinária e psicanálise.

Despertando Vidas - Dr. Fábio Gabas

Um novo conceito para uma vida mais saudável!Despertando Vidas apresenta exercícios e técnicas para melhorar significativamente sua saúde física e emocional, disposição e energia. Você poderá modificar seus estados emocionais, valores, crenças e níveis de consciência que determinam sua percepção de mundo e, consequentemente, ganhar qualidade de vida. Por meio de um modelo de alimentação e de condicionamento físico elaborado a partir dos princípios que regem uma função celular ideal, descubra como desfrutar de mais bem-estar com menos esforço.

Sobre o autor:

Fábio Gabas, graduado em Medicina pela Faculdade de Medicina de Catanduva (SP) em 1998, é médico clínico com especialização em medicina preventiva e integrativa, com prática ortomolecular. Faz parte do corpo clínico da Clínica Healthy, em São Paulo, e da Clínica Dr. Gabas, em Catanduva. É membro da A4M (American Academy of Anti-Aging Medicine), sócio-diretor da empresa HeartMetrix e idealizador do Programa Despertando Vidas, com atuação em todo o Brasil. Fábio Gabas é parceiro do Instituto HeartMath, de Bolder Creek, na Califórnia (Estados Unidos), pioneira nos estudos de coerência cardíaca. Além de palestrante e autor, Fábio Gabas é responsável pelas revisões técnicas dos livros A Biologia da Crença e Evolução Espontânea, de Bruce Lipton, PhD.

Herdeiro de Sevenwaters - Juliet Marillier

O 4° livro da aclamada e premiada autora Juliet Marillier
Quando Lady Aisling dá à luz um novo herdeiro de Sevenwaters, cabe à sua filha Clodagh a responsabilidade pela casa e o irmão. Porém, ele é raptado, e em seu lugar é deixado um ser que pouco lembra um bebê humano. Para recuperá-lo, Clodagh tem que se aventurar no Outro Mundo, acompanhada por um misterioso guerreiro, e enfrentar o poderoso príncipe que agora reina.

Sobre a autora:

Juliet Marillier nasceu em Dunedin, na Nova Zelândia, uma cidade com fortes tradições escocesas que a influenciaram profundamente. Graduou-se em Linguística e Música na Universidade de Otago e tem uma carreira variada que inclui o ensino, a interpretação musical e o trabalho em agências governamentais. Sua famosa trilogia Sevenwaters, Filha da Floresta, Filho das Sombras e Filha da Profecia, publicado no Brasil pela Butterfly Editora, ganharam vários prêmios internacionais e Juliet foi aclamada como sucessora de Marion Zimmer Bradley, autora da famosa série literária As Brumas de Avalon.

Mototerapia - Vencendo o estresse sobre duas rodas - Dinno Benzatti

Um livro para levar na garupa da moto. Publicado pela editora Butterfly, Mototerapia - Vencendo o estresse sobre duas rodas convida os leitores a montar na garupa de Benzatti e viajar com ele ao longo das curvas sinuosas da Serra do Rio do Rastro, das retas da Rota 66, nos Estados Unidos, das paisagens da Croácia, do trânsito caótico de São Paulo, do inexplorado Estado do Espírito Santo e até das terras da rainha, na Inglaterra e na Escócia, onde homens usam saia.Outra grande novidade neste livro, é a crossmedia, interatividade do conteúdo em vídeos. O leitor poderá acessar, por meio se smartphones ou tablets, dicas e matérias especiais para a TV escaneando os QR Codes impressos ao longo da obra.

Sobre o autor:
  
Apresentador do programa Momento Moto, Dinno Benzatti, registra em livro dicas de segurança e roteiros de viagens.
Apaixonado por motos, Dinno Benzatti pilota desde a década de 1970. Jornalista especializado em motos, palestrante e apresentador do programa Momento Moto, de vivência integralmente motociclística da TV aberta brasileira, o também blogueiro do portal R7, já escreveu para diversos jornais e revistas do país.
As experiências viajando pelo mundo em sua moto ganharam agora espaço na literatura. 

sábado, 19 de março de 2016

Lançamentos da Petit Editora



Morreu e Não Sabia - José Manuel Fernández
 
A história de um jovem desencarnado
Quando João descobre que seu melhor amigo está namorando Elisa, o grande amor de sua vida, fica transtornado. Sem que o casal perceba, começa a segui-los por todos os lugares: na escola, no bairro, nas ruas. Numa dessas obsessivas perseguições, às escondidas, João se distrai e, ao atravessar uma rua, acaba atropelado. Desencarnado, ele não percebe sua nova condição. Um militar, também desencarnado, vai ajudá-lo a descobrir o que aconteceu, mas o jovem só tem um sentimento: vingança.
Sempre fiéis às mensagens espíritas, a exemplo deste livro surpreendente.

Sobre o autor:


José Manuel Fernández nasceu em Astúrias (Espanha) em 1964. Desde muito jovem se sentiu atraído pelas questões relativas ao além. Sua busca por respostas para dar sentido à vida o empurrou a investigar grandes tradições filosóficas e religiosas. É graduado em Psicologia pela Universidade de Sevilha (1987), exercendo a profissão de psicólogo até os dias atuais. É casado e tem um filho. Mesmo já conhecendo o Espiritismo de Allan Kardec, foi apenas em 2003 que José Manuel decidiu estudar a Doutrina Espírita de forma sistemática e definitiva. Em 2010, escreveu seu primeiro livro espírita em espanhol, La Historia de Juan, cujo narrador, um jornalista, descreve os diálogos de um adolescente com seu mentor espiritual. Em 2011, o autor inaugurou sua página na internet, na qual publica diversos artigos sobre Espiritismo e disponibiliza o download de livros, todos de temática espírita e distribuídos de forma gratuita nos centros espíritas da Espanha. Este é seu primeiro livro traduzido para português. Conheça mais o trabalho do autor em www.entreespiritus.community .



Jesus e a Arte de Vencer Desafios - William Sanches


O que Jesus nos ensina sobre superação de desafios? Quais lições Ele nos deixou com as dificuldades que enfrentou? Como aplicar os ensinamentos deixados pelo Mestre em nosso desenvolvimento pessoal e profissional?
William Sanches nos convida a seguir os passos de Jesus na Terra e a entender como a passagem divina e humana do Mestre entre nós pode nos servir de exemplo para vencer adversidades e descobrir a espiritualidade nos acontecimentos mais simples da vida.
Por meio de citações bíblicas, o autor nos incentiva a lutar pelos nossos sonhos, tendo Jesus como modelo e guia inspirador.
Jesus e a arte de Vencer Desafios é essencial para quem deseja enfrentar as dificuldades do cotidiano de coração e mente abertos.




Pelos Caminhos da Vida - Cristina Censon  
Espirito: Daniel

  Na França, em pleno século XIV, Adele, uma jovem de apenas 13 anos. Apesar de tão pouca idade, ela se vê obrigada a enfrentar uma intensa jornada pessoal quando seu pai descobre que é sensitiva, capaz de ver e conversar com espíritos. Ao lado de sua aia Justine, Adele foge da ira paterna e vai ao encontro de Elise, única pessoa que poderia ajudá-la a lidar com seus dons. E é a figura emblemática de Elise que unirá Adele de Aimée, jovem de igual sensibilidade e dons. O pai de Adele, no entanto, não desiste da perseguição à filha, e sua vingança acaba  resultando numa tragédia de grandes proporções.

Sobre a autora:


Natural de Araras, Cristina Censon mudou-se para Campinas aos 3 anos. Graduada em Economia pela UNICAMP, transferiu-se para São Paulo, onde iniciou sua carreira profissional na área financeira. Conheceu a Doutrina Espírita em 1985, num pequeno grupo espírita, no qual trabalhou durante alguns anos. Em 1997, iniciou os estudos doutrinários na Instituição Espírita Seara Bendita, onde trabalha até hoje, ministrando cursos e trabalhando na área de assistência espiritual em prol de companheiros carentes e necessitados de esclarecimentos. Este é seu segundo romance mediúnico. Também publicou pela Petit A Luz Que Vem do Coração. Antes dos romances, escreveu o livro de autoajuda, Minha Vida Vai Mudar, publicado em 2010.





 

quinta-feira, 17 de março de 2016

Parceria: Petit Editora e Butterfly Editora


É com grande satisfação que comunicamos a vocês que agora somos parceiros da Petit Editora e Butterfly Editora.
Estamos muito felizes com essa conquista. Vamos falar um pouco sobre essas editoras maravilhosas.
        
                     


Histórico da Petit Editora

Em 1982, na cidade de São Paulo, a Petit Editora iniciou suas atividades como editora de livros técnicos, informática e eletrônica. Em 1990, seus fundadores passaram a publicar livros espíritas, cuja distribuição e venda era até então restritas aos centros espíritas, dando, assim, um novo direcionamento à editora.
Pioneira na abertura desse seguimento ao mercado editorial, a Petit começou a distribuir seus livros nas livrarias comerciais e a atrair novos leitores.
"O Homem e Seus Poderes", de Eunilto Carvalho de Souza foi o primeiro livro espírita publicado pela Petit Editora. O livro "Reconciliação", escrito pelo Espírito Antônio Carlos, e psicografado pela médium Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho foi o primeiro grande sucesso.
Foi publicado, em 1993, o grande sucesso "Violetas na Janela", de autoria do Espírito Patrícia, que também foi psicografado pela méduim Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho, que já vendeu mais e 2,2 milhões de exemplares. Centenas de livros foram publicados desde então, contribuindo para a divulgação do espiritismo e para o conforto de muitas famílias.
Em 2002, a Petit Editora cresceu e criou o selo Butterfly Editora, responsável pela publicação de livros de temas diversos, como a literatura, autoajuda, saúde e educação, sem se desviar de seu foco principal, ou seja, o de editar, obras compatíveis com a Doutrina Espírita.

Linha Editorial

O livro espírita da Petit Editora é produzido com muito critério e dedicação. As obras são analisadas por avaliadores doutrinados, atentos para que os textos levem a mensagem ao leitor de forma compatível com a importância e fidelidade à doutrina. Além da publicação de romances espíritas, a editora também oferece subsídios para discussão de temas atuais, como, por exemplo, a pintura mediúnica e livros para estudos. Contribuir para o crescimento espiritual é sua missão.
Todos os livros da editora recebem um cuidado especial até chegar ao leitor. Para que o leitor tenha em suas mãos a garantia de uma obra com conteúdo fiel aos princípios do Espiritismo e qualidade gráfica inscontestável, cada detalhe é pensado, desde a avaliação dos originais ao processo editorial e à produção gráfica.
A Petit Editora acredita que a maior recompensa a essa dedicação é o reconhecimento público pelo trabalho realizado, compromisso estampado junto com a logomarca escolhida para representar seus mais de 30 anos de trabalho e dedicação: Porque ler vai mais além...



A Butterfly Editora foi criada em 2002, e é um selo da Petit Editora, cuja proposta editorial é abrir espaço para que a imaginação literária possa alçar voos sem medo do diferente. A borboleta - ágil e multicolorida -, um símbolo de trasnformação representada na marca, projeta-se no espaço, agitando-se em liberdade, independente, voando na direção de seus sonhos, vislumbrando um amplo horizonte de harmonia e beleza.
Nessa metáfora, que certamente reflete o desejo do ser humano, espelha o objetivo da editora: o de movimentar os sentimentos, agilizar ideias, provocar raciocínios e reflexões.
A missão editorial é também agregar valor e inspiração ao seu dia a dia, e não apenas oferecer entretenimento ao público. No Brasil, selo Butterfly foi o primeiro a abordar o tema bullying e a existência de crianças índigo. Também fazem parte do catálogo romances, sagas e trilogias de sucesso.
A ousadia faz parte do selo, daí a frase que faz parte da logomarca: Aceite nosso desafio. Leia o diferente. 

terça-feira, 15 de março de 2016

Resenha: Kings of Cool - Don Winslow

                                    

                                  

Chon, Ben e Ophelia (mais conhecida como O.) são amigos desde a adolescência. Se conheceram quando O. estava sendo atacada por outro garoto e os meninos a salvaram. Desde então se tornaram bons amigos.


Agora, com vinte e poucos anos, os jovens estão envolvidos com o tráfico de drogas, assassinatos e outros crimes. Até a metade do livro eu achei a história bem confusa e entediante, já que o assunto era só como conseguir drogas, para quem vender, achar uma casa de cultivo, essas coisas... Demorei duas semanas para sair da primeira metade do livro... :/ Mas depois, quando a história começa, finalmente, a desenrolar, a gente passa a conhecer o passado dos personagens.


São os dramas familiares bem comuns que sempre vemos por aí, e que, de algum modo, acabam influenciando no comportamento desses jovens. Chon nunca se deu bem com seu pai, que além de ter passado os primeiros dez anos do garoto na prisão, ele ainda agredia a mãe de Chon. E O., que mora com a mãe, não sabe quem é seu pai, mas se empenha em encontrá-lo, mesmo sua mãe não querendo que ela o encontre.


O livro é sobre corrupção policial, a busca pelo poder a qualquer custo, e os perigos do tráfico. O autor usa também a linguagem jovem, com bastante gíria.
Se você gosta de livros com esse tema, acho que também vai gostar de Kings of Cool. :)



Pouca gente é forçada a descobrir o que fazer quando após basearem toda a vida em uma coisa, outra lhe é oferecida em troca."

O Lar das Crianças Peculiares | Trailer Oficial | Legendado HD




Saiu trailer de O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares❤❤❤

Já estou louca para assistir e para ler os livros😍😍😍


Tudo está à espera para ser descoberto em O orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares, um romance inesquecível que mistura ficção e fotografia em uma experiência de leitura emocionante. Nossa história começa com uma horrível tragédia familiar que lança Jacob, um rapaz de 16 anos, em uma jornada até uma ilha remota na costa do País de Gales, onde descobre as ruínas do Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares. Enquanto Jacob explora os quartos e corredores abandonados, fica claro que as crianças do orfanato são muito mais do que simplesmente peculiares. Elas podem ter sido perigosas e confinadas na ilha deserta por um bom motivo. E, de algum modo, por mais impossível que pareça, ainda podem estar vivas. Uma fantasia arrepiante, ilustrada com assombrosas fotografias de época, O orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares vai deliciar adultos, adolescentes e qualquer um que goste de aventuras sombrias.

quinta-feira, 10 de março de 2016

Resenha: Fangirl - Rainbow Rowell




Hoje vim falar para vocês o que achei do livro Fangirl da Rainbow Rowell.
Para início de conversa, a capa é super fofinha e foi o que mais me chamou atenção para o livro. O livro conta a história de Cath, uma adolescente que ama uma série de livros de fantasia - Simon Snow - ao ponto de se dedicar durante anos há várias fanfictions sobre o tema, Cath tinha a ajuda de sua irmã gêmea Wren. Porém, o ensino médio acabou e elas estão indo para a faculdade. Com a perspectiva de uma nova vida, Wren decide que não quer mais ficar tão grudada à Cath, e acaba convencendo-a de que elas devem ficar em quartos separados.


"- Então por que não mora com a sua irmã?
- Ela quer conhecer gente nova.
- Fala como se ela tivesse terminado com você."


 Sozinha e sem conhecer ninguém além de Wren, Cath se encontra em um quarto minúsculo, com uma colega de quarto que não parece ir muito com a cara dela - Reagan - e com um garoto que parece que não consegue parar de sorrir e que vive esperando que uma das duas abra a porta do quarto para que ele entre. É a partir daí que a história se desenrola, Wren não tem mais tempo para Cath, pois, vive saindo para festas com sua nova amiga Courtney, enquanto, Cath fica no quarto presa em seu mundinho fictício e sem querer se relacionar de verdade com as outras pessoas. Durante o livro a Cath vai deixando de lado esse medo de conhecer pessoas novas - não muito - e acaba encontrando bons amigos e amadurecendo.


"- Se você sorrir pra todo mundo - ela disse -, como é que vou me sentir quando você sorrir pra mim?"

Sendo sincera com vocês, eu não gostei muito do livro, mas é um livro razoável. A parte da fanfiction foi uma boa ideia, pois, é algo super comum entre as adolescentes e tudo mais, porém, a história na qual a fanfic foi inspirado não é muito clara, tudo que nós sabemos é que é algo parecido com Harry Potter, os nomes de alguns personagens e mais nada muito concreto. Sem contar que a escritora coloca trechos da fanfic durante o livro mas nós não conseguimos assimilar muito bem porque não temos uma noção clara de como é o livro do Simon Snow. Enfim, sempre ouvi falar muito bem dessa autora, porém, esse livro não me encantou, não me fez amá-lo, nem nada tipo, mas admito que o livro é ótimo para se ler em um dia chuvoso, pois, é uma leitura bem leve e sem super dramas.
Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger