segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Resenha: Vida e Morte, Crepúsculo reimaginado - Stephenie Meyer

Autor: Stephenie Meyer
Páginas: 391
Ano: 2015
Editora: Intrínseca
Adicione: Skoob

Sinopse: Quando Beaufort Swan se muda para a melancólica cidade de Forks e conhece a misteriosa e atraente Edythe Cullen, sua vida dá uma guinada emocionante e apavorante. Com a pele de porcelana, os olhos dourados uma voz hipnótica e dons sobrenaturais, Edythe é ao mesmo tempo enigmática e irresistível.

O que Beau não percebe é que, quanto mais se aproxima dela, maior o perigo para ele e para os que o cercam. E pode ser tarde demais para voltar atrás...

Resenha: Bom, o livro começa como a versão original, Beau, um humano, vai morar com o pai, Charlie, em Forks, e passa pelas mesmas experiências que Bella. Conhece Edythe, que, como vocês devem saber, é uma vampira, e os dois começam a se interessar um pelo outro, e por aí segue...

Logo no início, a história dá a entender que vai ser idêntica à de Crepúsculo, e sim, é igual mesmo, inclusive os diálogos. Parecia que ao invés de estar lendo, eu estava relembrando as frases do livro. Eu lembro bem, pois já perdi a conta de quantas vezes li o primeiro (Sim, sou fã declarada). Contudo, vi em algumas conversas, pequenos trechos que foram mudados na história, não só pelo fato de Beau ser um garoto, mas porque a Stephenie Meyer queria fazer algo diferente mesmo, o que foi um dos pontos positivos, é claro!

E eu estava pensando em como o tempo parecia fluir de forma estranha em Forks, às vezes passando indistintamente, com algumas imagens se destacando de forma mais clara do que outras. Mas, em ocasiões, cada segundo era significativo, grudado em minha mente. Eu sabia exatamente o que provocava a diferença e isso me perturbava."

Outra coisa que foi uma surpresa para mim, foi a autora trocar os gêneros dos personagens secundários também, eu achei que isso aconteceria apenas com Beau e Edythe; os únicos que não sofreram essa mudança foram Reneé e Charlie, pais de Beau.

Mesmo Beau sendo tão inseguro quanto Bella e ter os mesmos problemas que ela, percebi que a personalidade dele é, discretamente, diferente da personagem original. E Edythe também, ela não é tão séria como Edward, tem um pouco mais de senso de humor que o vampiro, posso dizer que ri bem mais do que com Crepúsculo.

Não é justo julgar as pessoas pelos pensamentos que têm. Eles foram feitos para serem particulares. São as ações que contam."

Mas o final... esse foi surpreedente mesmo!!! O fato de o livro começar exatamente do mesmo jeito que Crepúsculo faz você pensar "Claro, já sei como termina!", só que não! O livro termina bem diferente do primeiro, óbvio que não vou falar o que mudou porque seria um baita spoiler, embora eu ache que alguns de vocês possam imaginar...

Com o término do livro, algumas pontas ficaram soltas como, por exemplo, o que aconteceu com Lauren e Victor? (versões de Laurent e Victoria), mas como a própria tia Stephenie diz no posfácio, temos que imaginar o que aconteceu com esses e outros personagens que também não tiveram finais definitivos, o que descarta, a meu ver, a possibilidade de uma sequência.

Eu me perguntei como seria não saber quem você era. Olhar no espelho e não reconhecer a pessoa olhando para você."

Uma das editoras que publicaram Crepúsculo pediu à autora que escrevesse uma carta aos fãs da saga em comemoração do aniversário de dez anos dessa. Porém, segundo ela, isso seria um pouco sem graça; o ideal seria escrever mais um livro, mas era pouco tempo, então surgiu a ideia de reescrever a mesma história com as trocas dos gêneros, tendo em vista que Bella foi muito criticada por ser a mocinha sempre em apuros, só que com um final alternativo.

Essa é uma edição vira-vira, e na capa oposta você encontra a primeira versão. Apesar de eu ter encontrado alguns erros ao longo do livro, gostei bastante, valeu a pena mesmo!

E vocês, já leram Vida e Morte? Comentem aí se também gostaram. ;)
Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger