sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Resenha: Cinder - Marissa Meyer

Autor: Marissa Meyer
Páginas: 448
Ano: 2013
Editora: Rocco
Adicione: Skoob  





Num mundo dividido entre humanos e ciborgues, Cinder é uma cidadã de segunda classe. Com um passado misterioso, esta princesa criada como gata borralheira vive humilhada pela sua madrasta e é considerada culpada pela doença de sua meia-irmã. Mas quando seu caminho se cruza com o do charmoso príncipe Kai, ela acaba se vendo no meio de uma batalha intergaláctica, e de um romance proibido, neste misto de conto de fadas com ficção distópica. Primeiro volume da série Crônicas Lunares, Cinder une elementos clássicos e ação eletrizante, num universo futurístico primorosamente construído.

Uma surpresa maravilhosa <3

Cinder é o primeiro volume da série As Crônicas Lunares escrito por Marissa Meyer, o livro é uma releitura do clássico Cinderela.

Nesse livro conheceremos a história de Cinder, uma ciborgue de dezesseis anos que vive presa à sua madrasta Adri e à suas duas irmãs Peony e Pearl. Cinder trabalha como mecânica na cidade onde mora e é considerada a melhor mecânica da região, porém todo o dinheiro que ganha com seu trabalho vai para a sua madrasta, já que ela é a sua guardiã legal. 


Poderia ter dito que, como era a única a trabalhar, o dinheiro deveria ser dela, para gastar como bem entendesse. Mas os argumentos não dariam em nada. Legalmente, Cinder pertencia a Adri, tanto quanto o androide doméstico, assim como o seu dinheiro, seus poucos pertences e até mesmo o pé novo que acabara de colocar. Adri adorava lembrá-la disso."

Adri detesta Cinder e até hoje não entende como seu marido pôde adotar uma ciborgue inútil como ela, além disso seu marido morreu pouco tempo depois de adotá-la, por isso os membros mecânicos de Cinder nunca receberam enxertos de pele, Adri nunca gastaria um centavo a mais para o bem-estar de Cinder. 

- O seu tipo sequer sabe o que é o amor? Você tem algum tipo de sentimento ou é tudo... programado?"


Como já foi citado acima, Cinder trabalha no centro da cidade como mecânica e é em um belo dia de muito calor, enquanto esperava Iko - uma androide maravilhosa e com um senso de humor incrível - trazer seu novo pé, Cinder recebe a visita de um misterioso rapaz, que lhe pede em sigilo que ela conserte seu androide, o rapaz era nada mais, nada menos que o príncipe Kaito, ou Kai para os mais íntimos, o futuro imperador.

Ele era o sonho de todas as garotas no país. Estava tão longe de seu alcance, de seu mundo, que ela deveria ter parado de pensar nele no instante em que a porta se fechou. Devia parar de pensar nele imediatamente. Nunca deveria pensar nele de novo, exceto talvez como cliente — e seu príncipe. E, no entanto, a lembrança dos dedos dele em sua pele se recusou a desaparecer."

Kai é o solteiro mais cobiçado de todas as nações da Terra e até mesmo de Luna - a nossa querida Lua -, um "planeta" habitado por pessoas com misteriosos poderes e uma rainha perversa capaz de tudo para conseguir o que quer. E o seu principal desejo? Casar-se com o jovem príncipe. E o que aconteceria caso ela não conseguisse o que quer? Nada demais, ela apenas declararia guerra contra a Terra. Super calma ela, não é mesmo? =) 

A lua vagarosa chamou a atenção de Cinder, e uma onda de arrepios cobriu seus braços. A lua sempre lhe causara certa paranoia, como se as pessoas que morassem lá pudessem estar observando-a, e tinha medo de que, se olhasse por muito tempo, pudesse atrair a atenção delas. Uma superstição sem sentido, mas tudo a respeito dos lunares era misterioso e envolto em superstições."






Neste mesmo dia, Cinder vê sua vida desmoronar quando sua querida irmãzinha Peony é diagnosticada com Letumose, uma doença incurável que está matando a todos independentemente de classe social. Até o grande imperador está com Letumose e apesar de décadas de pesquisa, ninguém até hoje conseguiu encontrar uma cura para a doença. Além disso, Adri culpa Cinder pelo que aconteceu à Peony e por isso a inscreve para participar dos testes que estão sendo realizados para tentar encontrar a cura para a letumose. O principal problema disso tudo? Ninguém nunca saiu vivo desses testes.


Ela estava contente que lágrimas não revelariam sua humilhação. Contente que nenhum sangue em seu rosto revelaria sua raiva. Contente que seu odioso corpo de ciborgue servia para alguma coisa enquanto ela se agarrava a sua dignidade despedaçada."

E é a partir desses acontecimentos que a história começa a se desenrolar.



Apesar de ser considerado um reconto, a Marissa apenas pegou alguns elementos base, como a própria Cinderela, o príncipe, a madrasta, as irmãs e o baile, elementos que nós encontramos em vários livros por aí que não são considerados recontos. 

Eu não esperava nada demais desse livro, apenas a história clássica da Cinderela com mais alguns elementos, mas eu não podia estar mais enganada.


— Vaidade é um fato, mas é mais uma questão de controle. É mais fácil induzir os outros a acreditar que você é lindo se você puder se convencer de que você é lindo. Mas espelhos têm um jeito incomum de dizer a verdade."

Como eu falei anteriormente, o que nós temos aqui da real história da Cinderela são apenas os elementos chave, de resto a história é completamente diferente. O príncipe tem muito mais destaque, ele não é apenas o carinha que aparece no final para salvar a donzela em perigo, até porque a Cinder sabe se virar muito bem sozinha, o Kai é um ótimo governante, leal, justo e é alguém que sacrificaria todos os seus sonhos apenas pelo bem do seu povo.


Há cento e vinte e seis anos, o pesadelo e a catástrofe que foi a Quarta Guerra Mundial acabou, e a Comunidade Oriental nasceu. Ela cresceu a partir da unificação de muitos povos, muitas culturas, muitos ideais. Foi fortalecida por uma única crença persistente que juntos, nós, como um só povo, somos fortes. Temos a capacidade de amar uns aos outros, não importando nossas diferenças. De ajudar uns aos outros, não importando nossas fraquezas. Escolhemos a paz em vez da guerra. A vida em vez da morte. Escolhemos coroar um homem para ser nosso soberano, nos guiar, nos apoiar. Não para governar, mas para servir.

A Iko é um Androide com um "defeito" no seu chip de personalidade e isso faz dela a androide mais engraçada e divertida da vida <3, ela adora a Cinder e a Peony e tem uma quedinha pelo príncipe Kai. A Peony é fofa e ingênua, uma criança com um destino terrível não muito diferente de muitas que a gente vê por aí. E a Cinder, a Cinder é incrível, corajosa, altruísta, inteligente, ela não precisa de ninguém para salvá-la de um perigo iminente, ela é autossuficiente e isso é o que mais me encantou na personagem.

A Marissa Meyer conseguiu escrever um livro ótimo que mesmo sendo considerado uma releitura é uma história totalmente diferente, cheia de ação, diversão e uma pontada de romance. Com uma escrita leve e divertida, Meyer nos encanta com seus personagens bem construídos e com seu mundo maravilhosamente bem descrito.

Depois de muito tempo sem ler uma série seguidamente, Cinder conseguiu aguçar a minha curiosidade e no mesmo dia que eu terminei ele já comecei a ler o segundo volume, Scarlet. <3

Espero que vocês tenham gostado da minha resenha. =)
Já leram ou pretendem ler esse livro? Deixem nos comentários, eu vou adorar saber o que vocês acharam.
Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger