quarta-feira, 29 de junho de 2016

Resenha: Pequenas Grandes Mentiras - Liane Moriarty


Autor: Liane Moriarty
Páginas: 400
Ano: 2015
Editora: Intrínseca
Adicione: Skoob



Sinopse: 
Depois do sucesso de O segredo do meu marido, a autora australiana Liane Moriarty apresenta um livro ousado sobre as perigosas meias verdade que contamos a nós mesmos para sobreviver.

Com muita bebida e pouca comida, o encontro de pais dos alunos da Escola Pirriwee tem tudo para dar errado. Fantasiados de Audrey Hepburn e Elvis, os adultos começam a discutir já no portão de entrada, e, da varanda onde um pequeno grupo se juntou, alguém cai e morre.
Quem morreu? Foi acidente? Se foi homicídio, quem matou?
Pequenas grandes mentiras conta a história de três mulheres, cada uma delas diante de uma encruzilhada.
Madeline é forte e decidida. No segundo casamento, está muito chateada porque a filha do primeiro relacionamento quer morar com o pai e a jovem madrasta. Não bastasse isso, Skye, a filha do ex-marido com a nova mulher, está matriculada no mesmo jardim de infância da caçula de Madeline.
Celeste, mãe dos gêmeos Max e Josh, é uma mulher invejável. É magra, rica e bonita, e seu casamento com Perry parece perfeito demais para ser verdade.
Celeste e Madeleine ficam amigas de Jane, a jovem mãe solteira que se mudou para a cidade com o filho, Ziggy, fruto de uma noite malsucedida.
Quando Ziggy é acusado de bullying, as opiniões dos pais se dividem. As tensões nos pequenos grupos de mães vão aumentando até o fatídico dia em que alguém cai da varanda da escola e morre. Pais e professores têm impressões frequentemente contraditórias e a verdade fica difícil de ser alcançada.
Ao colocar em cena ex-maridos e segundas esposas, mãe e filhas, violência e escândalos familiares, Liane Moriarty escreveu um livro viciante, inteligente e bem-humorado, com observações perspicazes sobre a natureza humana.


O livro volta seis meses antes de um suposto acidente ocorrer e uma pessoa morrer durante o encontro de pais dos alunos da Escola Pública de Pirriwee.
A princípio, conhecemos três mães de alunos dessa escola: Jane, que é a mãe mais jovem, solteira e guarda um segredo sobre o pai de seu filho, Ziggy. Durante a orientação do jardim de infância, Ziggy é acusado de praticar bullying com uma colega, e por isso, várias mães proíbem os filhos de brincar com o garoto, mas pelo menos ela tem as amigas, que sempre a ajudam. Madelaine é mãe de Chloe, Fred e Abigail, sua filha mais velha, que decide morar com o pai, a madrasta e sua meia irmã que estuda na mesma escola que Chloe. O fato de Abigail querer morar com o pai deixa Madeline magoada, já que ele a abandonou quando a garota ainda era um bebê. E temos Celeste, linda, rica, com dois filhos gêmeos, Max e Josh, e um casamento aparentemente perfeito, mas também tem seus problemas. Essas mães se tornam grandes amigas e tentam ajudar, de todas as formas, umas às outras.

Mas às vezes fazer a coisa errada também era certo"

Os problemas dessas famílias são bastante comuns, coisas que vemos na vida real: bullying, traição, baixa autoestima e até violência doméstica. Como o livro não fala quem morreu ou quem "matou", em vários momentos eu desconfiei de vários personagens, achava que no meio da história eu ia descobrir, mas é óbvio que a intenção da autora era deixar o suspense até o final da história, o que me deixou super curiosa.
 
Admito que apesar de querer muito ler esse livro, eu não esperava tanto dele, na verdade eu achava que seria uma história ligada aos pais apenas com relação à escola, o convívio com os professores, os alunos, enfim... não achava que entraria tanto na vida pessoal dos pais, então me surpreendeu bastante porque mostrou como são os lares delas, os dramas familiares e, principalmente, que o que as crianças presenciam em casa, interfere na vida escolar delas também, então os pais devem estar sempre atentos ao que os filhos veem, tanto em casa como na escola. A amizade entre Jane, Madeline e Celeste é incrível, estão sempre apoiando uma à outra, sempre se preocupando com as outras, principalmente Madeline, mexer com uma das amigas dela é o mesmo que mexer com ela.

Os pais tendem a julgar uns aos outros... Talvez porque nenhum de nós saiba muito bem o que está fazendo. E acho que isso às vezes pode levar a conflitos."

O tema real mesmo da história é a amizade, como diz a autora nos agradecimentos, e a mensagem que o livro passa é que antes de acusar alguém, devemos ter absoluta certeza, e não porque as evidências apontam para tal pessoa. Não deixemos que as palavras de outras pessoas mudem o que pensamos sobre nós mesmos, e não podemos deixar que o que as elas acham nos impeçam de falar o que sentimos. Livro maravilhoso, super recomendo!


Existe certa diferença entre uma pessoa de coração partido e uma problemática."

Ao que tudo indica, Pequenas Grandes Mentiras pode virar série de TV e contará com atrizes conhecidas como Nicole Kidman, Reese Witherspoon e Shailene Woodley nos papéis de Celeste, Madeline, e a jovem Jane, respectivamente. E será produzida por David E. Kelley.

Já estou ansiosa para assistir. 
Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger